quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Reflexão: A responsabilidade por uma vida equilibrada


Existe uma frase que diz: "Não leve a vida tão a sério, você não vai sair vivo dela mesmo." Por sua vez, os chineses dizem: "Não se vê a beleza de um jardim durante uma tempestade". Já o profeta São Paulo escreveu: "Mesmo que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, mesmo que tivesse toda a fé a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade e amor) eu nada seria".

Interessante. Mas o que uma coisa tem que ver com a outra? Nada. Ou melhor: tudo. As três frases são, cada uma a seu modo, muito profundas e inteligentes. Se pararmos para meditar sobre cada uma delas, vamos descobrir grandes lições de vida.

Gravidade e ponderação são coisas muito importantes. Sem elas, a vida descambaria para a leviandade e a vulgaridade. Mas se levarmos a vida "tão" a sério, deixaremos de viver as coisas leves da vida. A vida deve ser levada de maneira equilibrada, entre a seriedade e a brincadeira, entre a agitação e a ociosidade. A vida é atividade, sim, mas precisamos de tranquilidade, de calma. Na tempestade e na agitação não vemos beleza em nada nem soluções para os problemas. A leviandade e a exaltação são extremos que devem ser evitados, assim como a gravidade excessiva e a ociosidade. Mas , em todos os casos, é preciso ter responsabilidade. Essa é a nossa bagagem na vida.

No caminho da interioridade, também precisamos de equilíbrio  Se ficarmos impressionados com os poderes das práticas chamadas "esotéricas", perdemos o pé do chão. Existem coisas mais importantes do que as profecias, as magias e os milagres. Mesmo diante dessas coisas, o Sábio mantém a tranquilidade, como uma andorinha no céu.

Trecho do livro "O Caminho Sábio - Tao-Te-Ching" de Roberto Otsu
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário