quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Relacionamentos: como a qualidade do seu parceiro(a) se transformou em defeito?


Qual foi o aspecto em seu marido (esposa) que mais te encantou, que te apaixonou?
Agora pergunto: Qual o aspecto, hoje em dia, que mais te chateia, que te irrita?
Pasmem vocês, aquele aspecto positivo (qualidade) de outrora pode ser o mesmo aspecto negativo (defeito) de agora.
Vejamos: Antes você se encantava com aquele jeitão desligado dele, de que tudo estava bom, desencucado, calmo, bonzinho. Agora se irrita porque ele não se importa com nada, tanto faz como fez, mole, devagar, aquele bobão que todo mundo explora, sempre sobra as contas para ele pagar, bagunceiro, sempre chega atrasado nos compromissos...
Se sentiu atraído por aquela mulher forte, firme, segura, que te apoiava, incentivava sempre. Hoje a vê como controladora, que não te dá folga, que te sufoca....
Perceberam? As mesmas atitudes, só mudaram os sentidos. Como aconteceu isso?
Quando estamos apaixonados, enquadramos o outro na nossa percepção, até se diz que não vemos o que é real, verdadeiro, no parceiro. Até acredito que vemos, pois no caso citado acima eles realmente não mudaram, mas colocamos um colorido, porque ainda não estávamos convivendo no dia-a-dia com o(a) parceiro(a). Aqueles aspectos eram interessantes de vez em quando, davam charme ao relacionamento, eram até divertidos. No entanto, no dia-a-dia não os aceitamos. Se somos parecidos, a aceitação é menor ainda, porque vemos no outro o que não queremos ver em nós. Com esta nova percepção, chega a irritação, implicância, reclamações, pois queremos que o outro mude. Ninguém muda ninguém, o outro só irá se modificar se realmente mudar sua percepção, seu olhar. Ele tem que querer esta mudança, pois não está agradando a si mesmo.
Normalmente, quando nós mudamos, mudamos as pessoas ao nosso redor, pois estaremos mudando as nossas respostas, os nossos comportamentos para uma determinada situação. A mudança sempre começa por você.

Este pequeno trecho do texto de David Viscott, ilustra bem:

"Em momentos de tensão e de dificuldades, é uma tentação assinalar as falhas de um parceiro. Ao agir assim você estará sendo impulsionado pela frustração e pela amargura. Lembre-se de que sempre terá uma escolha. Decida procurar o que existe de bom sem ficar cego diante dos defeitos de seu parceiro.
- Encoraje, mas não seja pouco realista.
- Seja verdadeiro, mas não use a verdade como meio de punição.
- Seja consolador, mas permita que seu parceiro sinta a dor de sua própria decepção.
- Ame para dar apoio, não para dominar. Se acaso seu parceiro se tornar dependente de seu amor, nenhum de vocês dois será livre.
O amor precisa ser retribuído. Aceite o amor que lhe dão e demonstre esta aceitação.
O amor lhe proporciona a coragem de ser você mesma na presença da pessoa que ama. Use essa coragem para dar o melhor de si."

Nenhum comentário:

Postar um comentário