terça-feira, 30 de julho de 2013

tristeza ou depressão????


TRISTEZA OU DEPRESSÃO???????


 

Saber a diferença entre tristeza e depressão é essencial.

A tristeza tem motivos, a depressão não tem motivos nenhum. Na tristeza, por exemplo, choramos pela morte de alguém, ficamos tristes, mas a dor passa, por mais que a saudade não. Na depressão, a dor não passa, vem a raiva, revolta, angustia, inquietação, insônia e depois a inercia, a pessoa não sente prazer em nada. O pior de tudo, é que o nosso estilo de vida está contribuindo muito para gerar angustia e tristeza, que podem levar a depressão. É grave, ficamos vulneráveis a ela, com o risco maior de cair no abismo: passar a barreira dos sintomas leves e entrar numa depressão profunda.  Constata-se que 15% das pessoas com depressão grave cometem suicídio. Por esta busca incessante por felicidade, impulsiona o desenvolvimento de remédios com efeitos colaterais cada vez mais nocivos. Como a depressão é uma doença conhecida há pouco tempo, e ainda misteriosa,  muitas pessoas usa a palavra depressão para tudo, não sabem o que tem, tem uma insatisfação, angustia,desãnimo , por exemplo, e dizem que estão deprimidas. Temos que ter cuidado. A depressão é uma doença e séria, com sintomas padronizados e tratamentos específicos.

Existe a suspeita ainda , que a culpa do caos químico no cérebro seja do estresse. Em resposta á tensão do ambiente externo, o corpo produz mais cortisol e outros hormônios do estresse. O excesso “pode” alterar a bioquímica cerebral e causar depressão.

Os evolucionistas acreditam que a depressão é uma característica do nosso cérebro, provocada por algo que nos ajudou a sobreviver: somos um bicho sociável. Antes , morávamos em comunidades pequenas, não tínhamos que pensar muito no que fazer, sem muitos estímulos externos, poucas escolhas, e hoje? São zilhões de escolhas, é difícil ter certeza sobre qual será a melhor, e qual tomamos só para ser aceito  nessa vida em sociedade. Qual é o melhor emprego, melhor namorada, melhor cidade para se viver. O cérebro parece, ás vezes, incapaz de lidar bem com isso. Não é à toa que muitos depressivos se queixam de ter surtados por só atender ás vontades alheias, em vez de seguir os próprios desejos. Outras questões da vida moderna podem ser apontadas para deixar o corpo mais cansado e consequentemente o cérebro não descansa: esta enxurrada de informação com que lidamos todo dia; viver num ambiente desgastante, com mais tempo dedicado a trabalho que a lazer é um atalho para à depressão, e para piorar, essas mudanças são acompanhadas cada vez mais pela solidão.

O que precisamos é saber lidar com a tristeza, insatisfação, a solidão, encontrar no meio deste caos o nosso equilíbrio interior.  Como se diz no ditado popular: pegar o limão e fazer uma limonada...É descobrir o lado bom disso tudo(pq tudo tem os 2 lados, mesmo se não vemos na hora),  pois com esta tristeza podemos nos tornar mais sábio, é uma hora para fazermos um balanço. A crise nos obriga a sair da zona de conforto e abre caminho para avaliarmos a vida por novos ângulos e tomar rumos diferentes. Quando tratamos a depressão corretamente, os sintomas desaparecem quase que totalmente. Os ante-depressivos, em muitos casos são necessários, para um suporte, para um inicio, para reagir, mas sempre tem que estar acompanhado com a psicoterapia, pq, os remédios ajudarão a resolver o lado bioquímico, mas o modo como lidar com os problemas ainda é com a pessoa.

O primeiro passo para toda e qualquer cura é a “consciência”. Reconhecer seus próprios limites, seu descontrole emocional, não deixar que a raiva, o medo, tristeza e outras emoções decidirem seu rumo. Tome as rédeas da vida com suas próprias mãos, seja o protagonista de sua vida. Pare de sentir pena de si mesmo, abandone o papel de vítima. Nada poderá reverter seu trauma, mas maneira de lidar com ele, é sua decisão.

 

- baseado no texto da revista super interessante do mês de junho- escrito e pesquisado por Carol Castro

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário