sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Aspectos Psicológicos Das Mulheres Com Câncer De Mama

CONHECENDO UM POUCO DOS ASPECTOS PSICOLÓGICOS NA MULHER COM CÂNCER DE MAMA

Através do conhecimento e da compreensão dos processos psíquicos por que passam a mulher com câncer de mama, durante todas as fases do tratamento, torna-se possível o entendimento de sua dinâmica psíquica: seus medos, angústias, raiva, inquietação, ansiedades e fantasias que podem interferir em uma melhor resposta ao tratamento. Cada paciente vivencia de forma individual essa experiência, acerca de seu diagnóstico e dos aspectos psicossociais envolvidos nesse processo, podendo utilizar-se da “negação” como perigoso mecanismo de defesa nesta circunstância. Desta forma, torna-se imprescindível a formação de uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos e médicos, para que juntos proporcionem à mulher, um atendimento humanitário, completo, promovendo assim o restabelecimento da saúde em seu sentido mais amplo: o indivíduo visto como um todo, ou seja, como um ser biopsicossocial, que se relaciona com o meio em que vive, mas que precisa estar em harmonia consigo próprio.

Cada indivíduo tem um modo de viver e adoecer. O tipo de doença e a época da vida em que ela se manifesta tem relação com a sua história, com a natureza dos seus conflitos intrapsíquicos e com a forma de lidar com eles.

A forma como cada pessoa foi criada, o contexto sócio-histórico reflete na vida do individuo, porque tudo o que foi construído foi internalizado e pode refletir de alguma forma na vida do sujeito.

O individuo faz do corpo o palco para a expressão de sua angústia. (Marco silva)

“Em nossa experiência com mulheres portadoras de câncer de mama, percebemos que nelas existe, escondida em aparente auto-suficiência, uma grande fragilidade como se fossem guerreiras que abriram mão de suas fantasias, de seus sonhos e de seu direito de serem felizes. Com isso, suprimiram seus sentimentos e, por vezes, já não mais os reconhecem” (Marisa Speranza).

É importante sempre deixar claro que a presença das características citadas, não é necessariamente, causadora de algum tipo de doença ou do câncer. Ter a personalidade mais ou menos introvertida, sofrer ou não perdas importantes ou ter a vida mais ou menos estressantes, não quer dizer que se vai ficar doente ou ser sadio para sempre. Tudo dependerá da maneira como cada indivíduo interpretará ou lidará com seus problemas, seus conflitos.

Por isso, reforço sempre: Quanto mais nos conhecermos, mais conscientes ficaremos das nossas dificuldades, dos nossos medos , bloqueios, e assim conseguiremos diminuir e transformar estas emoções, para aquelas mais positivas, que nos tragam segurança, realização, conforto, harmonia em nossa vida.


(texto baseado em artigos de psicologia on line)

Nenhum comentário:

Postar um comentário