sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

100 Anos de Juventude


As pessoas mais velhas hoje em dia tendem a não ser simples sobreviventes, mas sim indivíduos que incorporam atitudes e valores invejáveis.

Os sociólogos que estudam centenários inevitavelmente se impressionam com sua forte ligação com a liberdade e a independência, eles são adaptáveis. Em algum ponto de sua vida todos eles sofreram perdas e reveses. mas mesmo a perda mais significativa, foi chorada e depois a pessoa seguiu em frente.

Tentar descrever a "personalidade do longevo" é por demais restritivo no caso dos centenários - os avós bonachões e tranquilos é apenas um tipo entre muitos. Chegar aos 100 anos também acontece com gente egoísta, sarcástica e socialmente intratável. O traço comum é um sentido de auto-suficiência muito mais profundo do que a personalidade.

O estudo de Jewett, viu a longevidade em termos amplos e a maioria dos fatores que levou em conta eram subjetivos, relacionados ao modo como aquelas pessoas se sentiam a respeito de si mesmas. em comparação, os fatores puramente objetivos ligados á longevidade eram em pequeno número e muito gerais.(estudo com pessoas de 80 a 90 anos)
                                           
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

  • nenhum excesso ou deficiência de peso séria demais;
  • pouca flutuação no peso corporal durante a vida;
  • bom tônus muscular, de um modo geral;
  • força muscular;
  • pele de boa aparência;
  • ainda dirige automóvel e se engaja em atividades físicas.


CARACTERÍSTICAS PSICOLÓGICAS
(INCLUSIVE ESTILO DE VIDA E COMPORTAMENTO)


  • inteligência inata superior, vivo interesse nos acontecimentos correntes, boa memória;
  • livres de ansiedade, poucas doenças, tendência a não se preocupar;
  • independência na escolha de sua vocação. Tendência a ter seus próprios negócios.Trabalhavam em agricultura e no ramo de sementes, assim também como em medicina, direito e arquitetura; outros tinham seus pequenos negócios, e, em poucos casos, negócios de grande porte. A maioria não se aposentou cedo;
  • a maioria foi atingida seriamente pela depressão, quando tinham por volta de 50 a 60 anos, mas se recuperaram e construíram novos futuros;
  • aproveitaram a vida. todos tinham um certo grau de otimismo e acentuado senso de humor. Reagiam aos prazeres simples. A vida parece ter sido uma grande aventura. Capazes de ver beleza onde outros só viam feiura;
  • grande capacidade de adaptação. embora muitos cultivassem lembranças da infância, todos preferiam viver no presente com as suas inúmeras mudanças;
  • não se mostravam preocupados com a morte;
  • continuavam vivendo com a satisfação o dia-a-dia;
  • todos podiam ser descritos como religiosos num sentido amplo, mas nenhum exibia ortodoxia extrema;
  • alimentavam-se moderadamente, mas dispunham-se a experimentar novidades. nada de dietas especiais. sua alimentação incluía uma grande variedade de itens ricos em proteínas e pobres de gordura;
  • todos se levantavam cedo. em média dormiam de seis a sete horas, embora ficassem descansando na cama oito horas(sono curto ou interrompido é típico da idade avançada);
  • sem uniformidade nos hábitos de bebida. Uns bebiam moderadamente, outros às vezes bebiam muito, alguns eram abstêmios;
  • tabagismo - uns não fumavam, uns poucos tinham fumado moderadamente, mas haviam abandonados o vício a muito tempo, e um número muito pequeno era composto de inveterados fumantes de cachimbo;
  • medicamentos - usaram menos remédios no decurso de suas vidas do que muitos idosos usam numa semana;
  • a maioria bebia café.


texto baseado no livro : corpo sem idade, mente sem fronteiras- Deepak chopra, m.d.

Nenhum comentário:

Postar um comentário