quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Análise do filme: Sybil

Livro e filme, trata de uma mulher chamada Shirley Ardell Mason, nascida em 25/11/1923 na cidade de Dolge Center, no estado de Minessota. sua história é o mais famoso caso de personalidade múltipla já registrado.(filme feito em 1972).

Sybil, é uma paciente com severos problemas de ansiedade social e perda de memória. Com o decorrer da terapia, que durou 11 anos, a Dra. Wilburn descobre que ela tem 16 personalidades distintas. Ela usa hipnose e o barbitúrico Amobarbital para encorajar as diversas personalidades de Sybil a se comunicarem e revelarem informações sobre a vida da paciente.

A Dra. Wuilbrn concluiu que as múltiplas personalidades (transtorno dissociativo) de Shirley Mason (Sybil) foram resultados do abuso infantil por parte da mãe, aparentemente esquizofrênica, o pai ausente, o avô fanático religioso e morte prematura da avó, único ponto de afeto e aceitação na vida da criança,

Conta a história da luta desesperada de uma mulher que quer voltar a ser uma só.

O fenômeno que ocorreu em Sybil é um caso extremo do que ocorre em todos nós: todos possuimos personificações de vários aspectos que rejeitamos e/ou desconhecemos em nós mesmos.

O conceito de Carl Jung sobre a sombra - O lado escuro que todos nós temos, as monstruosidades das quais todos nós somos capazes, é na verdade um tipo de personalidade múltipla. Ela torna-se um problema de saúde mental quando atinge uma intensidade que afasta dramaticamente a pessoa de sua consciência e a impede de integrar a informação em suas mentes.

Veja o Trailer:


Nenhum comentário:

Postar um comentário