quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Exercitando e planejando a sua felicidade



Felicidade é algo difícil de ser definido e mais ainda de ser mensurado. Algumas pessoas dizem que é a soma das pequenas coisas boas do dia-a-dia. Outras, que é ter uma vida plena fazendo o que se ama. E também aquelas que acham que é ter um carro bacana ou uma casa com piscina. Quem está certo? Todos estão, a felicidade que um sente não é maior ou melhor do que a do outro. Mas, como algo tão abstrato pode ser planejado? Exercitado?

Tempo e Felicidade


Ao contrário do que muita gente pensa, a felicidade não é algo que acontece nas nossas vidas aleatoriamente. Ela precisa ser exercitada e, porque não, planejada.

Por muitos anos se estudou a relação entre o dinheiro e a felicidade. Todo mundo queria encontrar a resposta para a pergunta: dinheiro traz felicidade? Mas, pouco se estudou até hoje sobre a relação entre o tempo e a felicidade.

Muitos devem concordar que o tempo está se tornando cada vez mais valioso, já que, ao contrário do dinheiro, o tempo perdido jamais poderá ser recuperado.
isso faz com que as pessoas se preocupem mais com a forma que passam o seu tempo e com o fato de que talvez não valha a pena perdê-lo quase todo em troca de dinheiro.

Mas como disse a Monja Coem em uma entrevista:
"Preocupar-se nunca é válido. ocupar-se sim."

Não adianta ficarmos estressados ou frustrados porque não estamos usando o nosso tempo da melhor forma se não tivermos noção do que gostaríamos de estar fazendo com ele.

Vocês já repararam que muitas vezes existe um hiato entre o que as pessoas dizem que elas gostariam de estar fazendo com o tempo delas e a forma com que elas gastam o tempo que tem? será que realmente sabemos quais são as coisas que nos fazem felizes de verdade?

Ser feliz exige, além de esforço, autoconhecimento. Só nos conhecemos e entendemos quais são as nossas verdadeiras necessidades quando isolamos a nossa vida dos fatores externos e fazemos uma avaliação honesta sobre a razão pela qual tomamos certas decisões.

É sempre mais fácil colocar a culpa no emprego, no marido ou nos pais pelo tempo que nos está sendo confiscado porque tivemos de arrumar a casa, trabalhar até mais tarde ou cuidar dos pais doentes. Mas será que no fundo, não estamos fazendo isso porque queremos ser consideradas boas esposas, funcionários competentes e filhos exemplares? Isso não deveria nos fazer bem em vez de nos fazer lamentar pelo tempo perdido?

É mais provável que a gente sinta que nosso tempo está sendo bem aproveitado quando fazemos algo sem esperar pelo reconhecimento de outras pessoas. Toda e qualquer ação de nossa vida requer tempo, por isso, precisamos ter consciência das escolhas que fazemos o tempo todo para que elas nos tragam algum tipo de satisfação pessoal. do contrário, continuaremos com a sensação de tempo perdido.

Não coincidentemente o trabalho é uma das coisas que tem feito cada vez mais gente infeliz. Muitas pessoas não vêem propósito algum no que fazem e por terem de passar o dia todo confinados sem sem nenhum controle sobre o próprio tempo acabam se sentindo totalmente insatisfeitos com a vida que levam.

Só que nem todo mundo pode largar tudo para abrir seu próprio negócio ou viajar. nem todo mundo pode abandonar os pais doentes ou deixar algumas obrigações de lado. O que fazer então????

Comece a planejar a sua felicidade. sim, como planejamos os nossos gastos ou as nossas férias. Abra espaço na sua vida para aquelas coisas e pessoas que fazem você se sentir bem. identifique o que te faz feliz e repita isso com mais frequência.

Quando organizamos e planejamos as coisas com antecedência otimizamos o nosso  tempo (e muitas vezes o nosso dinheiro) e fazemos com que ele renda mais.

Arrumar tempo para aquilo que te faz verdadeiramente feliz, isso é planejar a sua felicidade.

texto baseado: felizcomavida. com

Nenhum comentário:

Postar um comentário