quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Tireoide - Uma visão dentro da psicossomática


A tireoide é composta de dois lobos e está localizada junto à laringe, na região do pescoço. Ela exerce importante atividade reguladora do organismo. É um dos órgãos mais sensíveis, do ponto de vista fisiológico, respondendo a vários estímulos do próprio organismo e também do ambiente.

A comunicação e a expressão corporal são fatores metafísicos relacionados à glândula tireoide. Expressar-se bem e dedicar-se bem a realização dos objetivos são atitudes que representam o fator de terminante para a saúde dessa glândula.

É necessário  que estejamos em harmonia interior obtida por meio do equilíbrio entre o que sentimos e o modo como agimos, visto que nossos conflitos nos enfraquecem, sabotando a força realizadora.

A tireoide é uma espécie de ponte entre as aspirações internas e as realizações no ambiente. No âmbito metafísico, ela manifesta a capacidade que temos de mobilizar nossos recursos para alcançar aquilo que almejamos.

A aceitação das vontades próprias, pertinentes às nossas aspirações e sentimentos, e muito importante para mover os recursos no meio exterior. No entanto, as pessoas tem vontade mas não se sentem no direito de ir em busca de seus objetivos, frustram-se, sufocando os anseios.

É necessário abrir-se para receber opiniões, acatar à sugestões dos outros, encontrando um ponto de equilíbrio entre você e o ambiente.

A saúde da tireoide, depende de nossa liberdade de ação e da descontração necessária para planejar um meio de executar os objetivos, dando vazão a criatividade e a originalidade "ninguém tira nossa liberdade, somos nós que nos aprisionamos às pessoas ou situações".

Nódulos - Representam os bloqueios na execução dos potenciais e impedimentos para realizar os anseios.

Câncer - Representa profundos abalos diante dos impedimentos existenciais, mágoas por não conseguir executar os seus maiores objetivos e impedimentos da felicidade amorosa ou profissional, acreditando que jamais fará o que gosta e do que precisa, perdendo a capacidade de manter o otimismo.

Perguntar-se: Como está minha vida agora? Estou fazendo o que gosto? Este trabalho (ou casamento) me realiza? É isso que quero? Estou conseguindo me colocar para o mundo? Estou conseguindo expressar meus sentimentos?

texto baseado nos textos de Rudigerr Dahlke ; Valcapelli ; Cristina Cairo, Luise Ray

Nenhum comentário:

Postar um comentário