segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O que se esconde atras do excesso de apego ao animal de estimação?


Lá se foi o tempo em que cães e gatos, ou qualquer outro animalzinho de estimação, viviam somente no quintal das casas e morriam de velhice. Hoje eles dormem na cama dos seus donos e sofrem de doenças que acometem o ser humano, como colesterol, diabetes, pressão alta, problemas renais , câncer e até depressão.

É indiscutível que animais, não somente os cães, são os melhores amigos do homem. Mas como tudo, tem que saber dosar sua atenção, carinho e amor pelos seus animaizinhos. O amor que você dá ao animal pode ser equivalente ao amor dado a um ser humano. isso é uma questão pessoal. O que é errado é o antropomorfismo, ou seja, atribuir aos animais funções, desejos e características de seres humanos.Os cuidados devem ser pautados nas necessidades das espécies, que são diferentes entre si e diferentes dos seres humanos, diz Giovana mazzotti, mestre em biologia animal , doutoranda em saúde animal.

A maioria são tratados como filhos, não só por aquelas pessoas que nunca os tiveram  e tem os animaizinhos como substituto, mas também por aqueles que já tiveram seus filhos ou ainda os tem, mas não obtém as respostas de comportamento esperado, afinal, animal não responde, não grita, não discute, não briga, não julga....

Tem aquelas pessoas que não conseguiram dar este amor e carinho aos filhos no momento oportuno, conseguem com os animais, se permitindo mostrar sua vulnerabilidade, com os animais agora podem pegar no colo, beijar, acariciar... ou mesmo aquelas pessoas que superprotegeram seus filhos e que não se conformam que cresceram e tomaram rumo em suas vidas, com seus animaizinhos eles poderão tratá-los como bebês, e mantendo-os sempre perto até que a morte os separe, eles nunca irão  abandonar seu dono.

Todos temos nossas carências, só temos que ter consciência delas para supri-las e não despejá-las em cima dos animaizinhos de estimação, onde se exagera em seus cuidados e atenção, e tudo que é "muito" não é saudável...então...cuidado...

Ensina seus cão a obedecer ordens, mas faça com que ele também se sinta amado  com que ele saiba que é parte de sua família. Faça o resto de sua família entender que, embora seu cão seja parte da família, ha certos limites e  regras que tem que ser respeitadas. Tratando seu bichinho com amor, mas como um animal, não esperar que ele se comporte como um ser humano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário