segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

O dinheiro como energia

O dinheiro é um símbolo de energia. Uma energia que nos liga aos objetos de nossos desejos adquiríveis. Ele não é uma coisa, e sim uma transação, uma transferência, uma troca. O dinheiro por si só é um instrumento de interação na sociedade. Ele é um intermediário para se conseguir outras coisas.

Como energia, o dinheiro só existe quando está em movimento. Percebendo que não se pode, por exemplo, possuir uma energia ou tratá-la como um objeto de nossa propriedade. Pode - se cuidar da energia de modo apropriado, pode - se utilizá-la de forma útil e conveniente, mas não se pode agarrá-la com as mãos nem trancá-la para sempre numa caixa. Energia só é energia quando está em movimento, e não se pode desfrutar dela a menos que se permite seu fluxo. Quem coloca a energia no dinheiro somos nós mesmos. Está vinculada às intenções que colocamos nele ao recebê-lo ou gastá-lo.

Aprender a lidar com o dinheiro é um dos grandes desafios para quem pretende ser rico de verdade. Rico não apenas em termos de dinheiro, mas também de outros bens necessários à realização pessoal e à felicidade. "Rico é aquele que está satisfeito com o que possui", regra básica para um verdadeira prosperidade.

Os termos "miserável" ou "esbanjador" referem-se a um tipo de relação pessoal não apenas com o dinheiro, mas com o mundo em geral. Se você segura o dinheiro, não porque está poupando para algo, mas por medo de ficar sem, não está deixando acontecer a troca de energia necessária, e se você gastar irresponsavelmente, não dando o devido valor a ele, está soltando mais energia do que recebendo, também não está tendo o equilíbrio de energia para sua prosperidade.

Como toda energia, o dinheiro não tem consciência moral, nós que colocamos a moralidade através do uso que fazemos dele.

Um dos primeiros passos para a conquista da verdadeira consciência da prosperidade é o despertar do sentimento de gratidão por tudo que já possuímos, em vez de cultivar o sentimento de pesar por tudo que nos falta. O segundo passo é entregar nosso projeto de vida a um Poder Maior do que nós mesmos. Isso não significa que basta sentar e esperar passivamente que as coisas aconteçam por si só. A entrega a um Poder Maior nos dá segurança e força para perseguirmos com afinco nossos objetivos e desperta em nós a percepção das oportunidades quando elas surgem.

Pensamento positivo é um outro fator fundamental da consciência da prosperidade: a qualidade do nosso pensamento determina não só a criatividade, mas também o êxito ou fracasso de nossos projetos financeiros. "Somos o que pensamos" . O pensamento positivo que irá criar um sentimentos positivo que nos levará para uma ação positiva.

A maioria de nós, em um nível consciente, quer e gosta de dinheiro, pois ele nos permite transformar alguns desejos de ter e fazer algo em realidade. mas em nível inconsciente, podemos estar trazendo muitas crenças limitantes, nossas objeções inconscientes contra o crescimento, a prosperidade. Essas objeções irão nos fazer sabotagens. São crenças que nos carregam para direção contrária do sucesso e prosperidade. Por exemplo: "Pessoas ricas e bem sucedidas trabalham muito e não tem paz interior." Se temos este tipo de crença, o nosso inconsciente rapidamente agirá para ajudar e irá nos afastar do sucesso, é uma proteção para que não nos tornemos alguém que só trabalha e não tem paz. O nosso inconsciente é muito poderoso, eirá trabalhar contra o nosso sucesso. Irá influenciar nas nossas escolhas, nas nossas ações para que não tenhamos chance de ser bem sucedido. E caso tenhamos alcançado, vai criar sabotagens para nos derrubar, tipo: nos fazer sentir com mais preguiça, falta de energia; pode nos fazer procrastinar as coisas importantes; pode nos fazer escolher um sócio que só nos trará problemas; nos fazer gastar tudo que não deveria para não ter como investir, etc. Sutilmente ele irá interferir em todas nossas decisões e ações para garantir que não tenhamos sucesso. Assim, as coisas não acontecem como gostaríamos que acontecessem e atribuímos ao nosso azar, abaixa nossa auto estima, etc

Quando acredita que só fatores externos é que podem ajudar na situação, como se fosse incapaz para fazer algo que provoque verdadeiras mudanças que conduzam à resolução dos problemas financeiros, não acreditando no seu verdadeiro potencial , o levará a não melhorar a qualidade de sua vida e viverá na frustração.

É importante lembrar que o dinheiro nos possibilita o ter e o fazer, mas não o ser. E se você não o tem ainda, volte para você, procure se conhecer melhor, entender melhor o que te levando para este ou aquele caminhos, para descobrir o que o está impedindo de ter abundância em todos os sentidos, a prosperidade. Não desista... O poder está dentro de cada um de nós.