quarta-feira, 11 de abril de 2018

Melancolia Pós-parto ou Blues Puerperal ou Baby Blues


Algumas mães mesmo num contexto positivo, de alegria, que é a chegada do bebe tão esperado, vivencia tristeza e melancolia. A mãe vê todo mundo feliz, o bebê está ótimo, tudo perfeito e ela não consegue se sentir bem, isso tem nome: Melancolia pós-parto ou blues puerperal ou simplesmente - Baby blues.
Neste momento não adianta nem ouvir conselhos e muito menos se culpar. O "baby blues" é passageiro, como ele veio... ele vai... Normalmente inicia-se no 3º ou até 5º dia pós-parto e deve ir embora até a segunda semana.
Não confundir com Depressão pós-parto, pois na depressão a mãe só vive a tristeza, irritabilidade, até pensamentos suicidas ou de não querer nem pegar o bebê no colo, tamanho são seus medos e inseguranças.
No baby blues a mãe costuma ter momentos de muita alegria e satisfação também, , só que seu humor oscila muito: tristeza, melancolia, irritabilidade, ansiedade...
Acredita-se que isso aconteça pois, nessa primeira semana pós parto, o corpo da mãe está adaptando, o que inclui se recuperar da enorme dose de adrenalina que recebeu quando o bebê chegou, os hormônios se desestabilizam dentro do organismo. Sem contar com os distúrbios emocionais que acontecem nesse primeiro momento pós parto. Os sentimentos que chegam junto com o bebê, muitas vezes insegura, com medo de que não vai dar conta de cuidar, criando uma ansiedade exagerada. Por mais que ame seu filho, os primeiros dias em casa são confusos e cheios de dúvidas, com distúrbios de sono, de apetite, a rotina fica perturbada, o bebê exige muita atenção. contribuindo ainda, a possível dor causada pelos mamilos rachados na hora da amamentação.
Calma!!! Isso passa, é só nas primeiras semanas. Nessa hora é bom a mãe ter uma pessoa que confie que possa escutá-la, porque não um psicólogo? Ou mesmo, manter um caderno de anotações, para escrever assim que sentir necessidade, desabafar. E não se intimidar de pedir ajuda com as tarefas domésticas, com o bebê, para conseguir descansar o máximo possível, aliviando assim a tensão.
Mãe: Não espere e nem cobre perfeição. Muito pelo contrário, admita seus medos e inseguranças e que está aprendendo, que é uma grande e nova experiência que está passando.
A família e amigos precisam entender que nesse momento a mãe precisa de espaço, apoio e compreensão, para , aos poucos se adaptando a esta nova realidade.