A Terapia Cognitiva


A terapia cognitiva é uma abordagem estruturada, diretiva, ativa, com prazo limitado de atendimento, usada para tratar uma variedade de transtornos (depressão, ansiedade, fobias, queixas somáticas, disturbios emocionais, etc). Sua fundamentação é de que as cognições (pensamentos) de um individuo sobre si, o mundo e o futuro, determinam suas emoções e, consequentemente, seus comportamentos. Produzindo mudanças na forma de pensar e nos sistemas de crenças do individuo, promove mudanças nas emoções e comportamentos que as acompanham.
Um exemplo prático:
" Uma pessoa do sexo feminino, 50 anos, iniciou a terapia com a seguinte queixa: - Ela e o marido tinham um negócio próprio há mais ou menos 10 anos, e estavam tendo uma desestruturação, diminuição das vendas, consequentemente, das finanças, adquirindo muitas dívidas, cheque especial principalmente, tendo que vender alguns imóveis, abaixando o padrão de vida. Estavam sem vida social e, com isso, havia um afastamento do marido e filhos, pois se apresentava com os seguintes sintomas: irritação, nervosismos, perda de apetite, insônia, choro fácil, frigidez, autodesvalorização, desleixada com aparência e com a casa, entre outras.
Logo após de ouvir a queixa, dei um suporte emocional para um alivio imediato e explicação do tratamento e de que forma poderia se ajudar. Logo em seguida, foi feito um levantamento das suas áreas de vida para um maior conhecimento e definição de como seria abordagem. Foram verificados padrões de comportamentos que se repetiam nas áreas, suas crianças e pensamentos automáticos negativos (PAN). Foi ensinado como identificar seus pensamentos automáticos negativos; como desafiá-los, entendendo o que a levou ter estes pensamentos disfuncionais, verificando sua credibilidade e como anulá-los, colocando outros nos lugares, mas com uma nova percepção, um outro entendimento da situação mesmo sem esta ter sofrido qualquer mudança.
 
Alguns pensamentos automáticos negativos(PAN) que vieram a consciência:
-"não vamos conseguir; não sei nada; não consigo ajudar; sou uma fracassada; estou velha, acabada, sem graça; não desperto nenhuma atração; nunca vou melhorar; sempre vamos ter dificuldade.
algumas crenças:
- "o homem quem sustenta a casa; mulher não precisa ganhar dinheiro; mulher não é boa para fazer negócio; mulher deve obediência ao marido; temos que agradar  sempre as pessoas; o outro vem em primeiro lugar do que eu própria; etc"
-tomando consciência, que é o primeiro passo para qualquer mudança, percebeu que não era o que realmente acreditava, que estava apenas repetindo padrões de comportamentos e crenças, sem ao menos verificar quais eram seus pensamentos e sentimentos em relação. Foi levantado também suas qualidades pessoais. Foi passado para uma maior compreensão de si e treinos para identificar os pensamentos. "Lição de casa" para fazer um diário de pensamentos assim que percebesse uma mudança de humor, anotar seus PANs. Foi usada também, sempre que necessário, a técnica de visualização da gestalt para ampliar a percepção de si. E foi orientado a prática de outras terapias ou ferramentas que poderiam ajudá-la numa melhora mais rápida, como a yoga, florais, exercícios físicos, acupuntura, artesanatos, trabalhos voluntários, etc. Com alguns meses de terapia, estava apta para enfrentar os problemas que iriam surgir, com maior firmeza, mais assertiva, sabendo colocar suas opiniões, para continuar sendo "seu próprio terapeuta".

"A terapia e o terapeuta existem apenas para te apoiar. Você precisa agir e fazer o esforço necessário para ser e viver".

Nenhum comentário:

Postar um comentário